Saturday, August 18, 2007

Eterno enquanto dure

Por SANDRA MEZZALIRA GOMES

Nunca vou esquecer aquele mês de março de 2006. Preparávamos a edição especial da Copa da Alemanha e era muita informação para pouco papel.

Além disso, com a revista bimestral, muitas notícias interessantes estavam “envelhecendo“.

Lembrei-me também de um brasileiro que comentou: “acesso o site da Brazine todo dia“. Na época, não tinha nada dinâmico, além da agenda e dos classificados.

Conversando com a editora chefe, ela perguntou: “quer assinar uma coluna no Online?“. Sabíamos que, aqui, espaço não é problema e não custa.

Assim começou, dia 3 de abril de 2006, a coluna diária. Em certos dias precisava juntar os temas no mesmo texto, outros, saíram em duas ou três colunas.

Algumas vezes, eram apenas dicas, mas teve muita matéria, entrevista, cobertura de eventos e, inclusive, dois furos de reportagem, que só leu quem acompanhou Brazine Online.

Que ela não seria mais diária, estava claro desde seu primeiro aniversário de um ano. Mas a idéia era continuar escrevendo, tanto para a homepage quanto para a revista, num projeto no qual entrei em 2003, investindo tempo e dinheiro, por acreditar na sua plataforma e objetivos.

E se, para cumprir com as “obrigações“ voluntariamente era preciso um esforço sobre-humano, nada é mais possível se não for feito de coração, se não vier da alma.

Agora, problemas internos me afastam deste projeto que amei como se fosse um filho e não irei deixá-lo sem, ao menos, me despedir e lamentar a perda do mesmo.

“Sem tesão não há solução“, diria Roberto Freire, que propaga a “somaterapia“ no Brasil. E quando se perde o tesão, fica difícil recuperá-lo.

Cada segundo dedicado a trazer informação a você, leitor, não foi em vão. E esta minha história com a Brazine foi com certeza eterna, enquanto durou!...

2 comments:

Marcelo Candido Madeira said...

Oi Sandra, estou sempre aqui no seu blog...é uma pena o que aconteceu com a revista, eu torço para que venha em breve o blog Brazine ou mesmo Blog ZineBras já que tá tudo de perna pro ar mesmo! aproveito e deixo aqui o convite para vc conhecer meu blog de crônicas e artigos "Madeira de Lei".
Abraços

Sandra Mezzalira Gomes said...

Nem diga Marcelo, foi como um filho que morreu...mas a história é não deixarmos a informação parar, certo?

Vou olhar o blog sim e obrigada por prestigiar o espaço aqui.

Quero em breve me dedicar mais e regularmente para o blog e um website afinal, temos de fechar este "buraco" que a Brazine deixou, ne...

Grande abraço!